HAIRDRAMA

Monthly Archive: dezembro 2014

sábado

27

dezembro 2014

2

COMMENTS

Linha Discipline da Kérastase – cabelos domados, mas sem perder o movimento.

Written by , Posted in NO CLIMA BALLET FITNESS, PRODUTOS

Estamos um pouco atrasadas com esse post, mas antes tarde do que nunca, não é mesmo?

Bom, fomos convidadas pela Marcia Stein para conhecer o lançamento da linha Discipline da Kérastase. Na semana do quadrilátero do charme by Vogue em Ipanema, a L’Oréal em parceria com o Care fizeram um evento para lançar a linha Thermo Alinhamento Capilar Discipline. Fomos convidadas também para experimentar o tratamento feito no salão e ainda ganhamos 3 produtos para darmos prosseguimento em casa.

O conceito dessa nova linha da Kérastase foi inspirado no ballet clássico, principalmente na disciplina que as bailarinas precisam ter para alcançar seus resultados. O slogan é: Disciplina, mas sem perder o movimento. Ou seja, a linha se propõe a domar aqueles fios mais revoltados e baixar o frizz, mas sem endurecer o cabelo.

E sabem quem foi a escolhida para divulgar e fazer o lançamento aqui Brasil? A nossa querida Betina Dantas (post coque Betina Dantas ) criadora oficial do ballet fitness, quem acompanha o blog já sabe que somos fãs e seguidoras da técnica.

Como vocês vão ver no vídeo, achamos o tratamento feito no salão muito bom. O cabelo sai muito macio e cheiroso, e disciplinado rs. Desde lá estamos usando os produtos e super aprovamos. O spray e a máscara são realmente eficientes e dão um trato no cabelo, a sensação que temos é que cada fio é encapado e ganha um peso que normalmente nós de cabelo fininhos não sentimos, é uma beleza! Isso tudo graças a um novo complexo chamado morfo-queratina. É um tratamento de disciplina intensa, sem alterar a fibra capilar, ou seja, não é um processo químico.

A linha Discipline propõe:

Controle: anti-frizz, anti-umidade.

Escova: maior rapidez e duração.

Qualidade do fio: brilho, maciez e movimento.

Abaixo seguem os 3 produtos que ganhamos e suas especificações.

foto(1)

 

1. Shampoo Bain Fluidealiste: Disciplina com fluidez e leveza, para o movimento ideal. Toque maleável e macio. Indicação: uso diário.

2. Maskeratine: Ação reforçada contra o frizz, facilita a escivação, alinhamento intenso da superfície capilar. Indicação: 1 x por semana.

3. Fluidissime: Sem enxágue. Ação anti-frizz e antiumidade por até 72 horas. Facilita a escovação e protege do calor.Maciez instantânea e brilho intenso com toque leve. Indicação: uso diário com ou sem utilização de calor.

Desses 3 produtos, se você tiver que escolher um para comprar, nós indicamos a Maskeratine. Já dá para sentir o efeito logo na primeira passada. No vídeo, a Renata, consultora da Kérastase explica melhor a ação desses produtos.

 

 

 

 

 

 

-

sexta-feira

12

dezembro 2014

0

COMMENTS

“Seu cabelo é seu?” – Letícia Novaes e seu hairdrama ou e sua juba.

Written by , Posted in Convidados, Hairdramas convidados

eu por laila oliveira

Por Letícia Novaes

eu por laila oliveira

Das perguntas que mais ouço na vida, uma delas é: “seu cabelo é seu?”
Isso porque sou dona de uma juba, das mais cheias e grossas que qualquer cabeleireiro já tocou. “Menina, isso aqui é um baita d’um pau grosso”, já ouvi de alguns profissionais mais informais, risos.
Minha bisavó Altamira era negra, minha vó é Régia é morena, meu pai é moreno também, eu vim branquela infelizmente, mas meu cabelo puxou a família paterna. Por isso quando perguntam se meu cabelo é meu, tenho vontade de responder “Não, amor, é da África”.

cabelinhoNa infância, minha mãe contornava o volume cortando curtinho mesmo. Nas fotos, pareço um abajour. Depois veio a juventude e para meu terror, não tinha jeito ou coragem. E morando no Rio de Janeiro, foi por aí que entendi que prender o cabelo é um oásis. Para o calor da nuca, para arregalar mais a cara (não sou do tipo que fica bonita com cabelo na cara, franja etc).
Com quase 20 e poucos, comecei a relaxar meu cabelo. Me pareceu bom, pois o cabelo continuava com volume, mas um pouco mais domado na raiz. Meu cabelo nunca formou cachos, apenas volume bethanesco. Em 2008 fiz um programa de turismo para o site da Oi. Pediram pra mexer no meu cabelo, deixei. Fizeram escova progressiva. Foi uma sensação demente. Eu acordava com os cabelos lambidos na cara. Dormia, acordava, o mesmo cabelo. Não curti. Prático? Ok. Mas sem opção. Gosto de ter o cabelo desconjuntado e vez ou outra arrumá-lo, escová-lo, enfim. Variações.
Cabelo é poder, aos poucos fui entendendo. Quando eu solto o cabelo no show, rola uma comoção, é divertido. Uma vez saindo de um taxi, o motorista, que quase não tinha se pronunciado, me disse: “Ei, menina, não corta o seu cabelo nunca, hein!”. Espíritos, eu pensei. Risos, soltei.
Já quase cortei curtinho, mas meu rosto é pequeno (apesar do nariz ser grande), e sendo muito alta e magra, fiquei com medo de parecer um fósforo. Por enquanto ainda não veio aquela coragem louca de radicalizar, e eu gosto, gosto de ter cabelão, não cuido como eu deveria, vou à praia, amo piscina, não uso boné, nada disso. Mas vez ou outra hidrato e me divirto com o meu querido Rodrigo Bastos, que cuida da minha crina.
Nunca pintei o cabelo. Ele é tão seco e cheio que seria caótica a manutenção. Não dá. Recentemente passei um tonalizante meio vermelhinho para fazer o filme “Qualquer gato vira lata – 2″. É bem leve a cor, quase minha cor natural, meio cobre. É divertido se olhar no espelho e ver outra cor, outra cara, mas não adianta, está no meu mapa: não sou dada à grandes transformações físicas. Inclusive, minha mãe só foi pintar o cabelo com 40 anos, quase obrigada pela irmã e cunhadas. Minha mãe é a mais linda e o comentário de todos é: “Meu deus, Sônia não muda nada, o tempo não passa para você!” Arrisco dizer que o fato dela nunca ter feito nada radical no cabelo tem a ver com isso. Risos. Admiro a coragem das franjas, do rosa, da loucura, mas no meu caso, o barato mesmo é manter a juba, cultivar a crina, cortar beeem pouco, vez ou outra nem lavar pós praia, dormir e achar que virou alga. De repente mais velha, tomo coragem e ouso mais, por enquanto é isso. Juba louca, juba própria.

Mais fotos!

cabelo por ana alexandrino 5621738263_d5e24e644e_o FOT3502

terça-feira

9

dezembro 2014

0

COMMENTS

Barbearia está de volta! Esse é só para os homens ou para as mulheres dos homens, rs!

Written by , Posted in DESATANDO OS NÓS, Hairdrama masculino, HAIRDRAMAS, LOOKS, PRODUTOS

P1060526

 

P1060526

No studio da Carla.

As barbearias estão de volta! Já faz muito tempo que saiu de moda homem querer cuidar do próprio cabelo, inclusive não só saiu de moda como virou uma opressão, homem cuidando do cabelo… só careca. Virou cool, homem dizer que não faz nada no cabelo, que paga $5 reais pra cortar ou que não lembra a última vez que penteou. Ah! Queremos deixar claro que também gostamos desse estilo bagunçado, mas só isso como opção e ditadura capilar masculina fica beeem chato. Tem que haver espaço pra tudo, e a verdade é que os espaços pra cortes masculinos foram aos poucos diminuindo… o barbeiro… só aquele mesmo antigo que cortava o cabelo  do meu avô.

E ainda bem que isso tudo vem mudando, lá em NY já é moda há muito tempo, nós nem sabemos se chegou a sair de moda, mas por aqui sim, saiu, mas graças a deus estamos sendo contagiados. Ainda temos poucas opções, exceto São Paulo que está cheio de barbearias, fizemos uma pesquisa rápida e o que não falta é lugar bacana, estiloso, retrô, que oferecem várias coisas, entre elas até um bar com inúmeros rótulos de cervejas importadas. Deu muita vontade de ir, tipo agora! Mas como moramos no Rio não rola, né. Por aqui a coisa ainda é fraca, tem um ou outro dentro de shopping e não tão charmosos como os de SP. Mas do jeito que coisa tá indo rápido, já já aparece um. O que temos aqui é o Studio da Carla Biriba, maquiadora e hairstylist incrível (super especiliazada em corte masculino, poderíamos até dizer que ela é barbeira, rs!) que já deu dicas sobre cachos pro blog. P1060540 Eu, Diana, fui acompanhar o meu marido Luiz André Alvim, cortar o cabelo com a Carla. E foi demais, ela cortou o cabelo dele lindamente, dá pra ver no vídeo, e nós amamos o resultado, e eu não estou exagerando, a última vez que ele curtiu um corte, foi numa barbearia no Brooklyn que inclusive virou até post. O marido da Carla, o Ciro Luporini acabou de voltar de Londres, onde foi estudar barbearia, e agora já está atendendo os homens do Rio. Então quer dizer, temos uma power couple liderando esse movimento aqui na cidade maravilhosa. Em BH, interior de São Paulo, Curitiba, Brasilia, também tem barbearias, enfim… dêem uma busca na internet, talvez achem uma opção perto, e se ainda não tiver nenhuma… olha aí, um bom negócio pra começar, rs!

A coisa tá ficando tão, tão na moda, que a Axe acabou de lançar a Matte Effect, uma linha de produtos só pra cabelos, com cera modeladora, spray, etc… é uma beleza, a Carla usou no Luiz André, inclusive foi ela que nos deu a dica. axe

Então gente o que fica é, homens com cabelos modelados, bem cortados e estilosos estão back in, e nós estamos felizes da vida, porque também gostamos desse look mais urbano e retrô. Mas o mais importante disso tudo é: o homem poder se sentir a vontade pra fazer o que quiser e usar o cabelo como bem entender, sem ser taxado de nomes – cá pra nós, preconceituosos, equivocados e desnecessários.

Partiu barbearia!

São Paulo liderando a tendência:

barbearia 9 de julho_

Barbearia 9 de Julho, das pioneiras em São Paulo

retro hair 2_

Retrô Hair no espaço também tem um salão de beleza feminino.

barbearia corleone

A Barbearia Corleone é a que tem um cardápio extenso de cervejas importadas.