HAIRDRAMA

hairdrama Archive

quarta-feira

8

abril 2015

0

COMMENTS

Hairdrama viajando – um mini guia de Paris com corte, passeio e comida.

Written by , Posted in HAIRDRAMA VIAJANDO

Captura de Tela 2015-04-07 às 08.44.51

Por Diana Herzog

Paris é uma cidade incrível, tão incrível, que você pode passar a vida indo pra lá, mas basta você mudar de vizinhança pra ver que será como descobrir uma cidade nova. O que eu quero dizer é que cada arrondissement (bairro, digamos assim), é uma Paris, com restaurantes, mercados, lojas, bares, parques, enfim… é uma área particular, com características próprias, claro que sem perder o ar parisiense, mas que faz a cidade ser tão múltipla. É isso, tem muita gente que mora num arrondissement e muitas vezes não sai de lá por nada, ou muita gente que conhece profundamente uma área, mas quando vai ver não sabe nadinha de outra. Porque como eu disse é um mundo.

E eu, é claro, hoje tenho as minhas áreas preferidas. E o que vou compartilhar aqui, na forma de um mini guia, é uma delas. Essa área fica entre o primeiro e segundo arrondissement – é bem a meiucua de Paris, mas como é bem pertinho do Marais (onde eu fiquei), também vou apresentar uma das ruas que eu mais frequentei durante a minha estádia. Ao invés, de apresentar um local específico, restaurante ou etc… vou apresentar as ruas, porque elas sozinhas já são um evento, e o que não vai faltar é lugar pra visitar. Daí fica da vontade e interesse de cada um.

A primeira e principal do post é a rua Montorgueil (não é a rua do salão, mas é a rua que cruza com a rua do salão) uma rua… digamos assim, gourmet. É uma loucura de delícia e de charme. Ela é pequena, começa do lado da igreja St. Eustache (igreja com o maior órgão de tubos da França) que fica de frente pro Les Halles, e vai até a rue Reamur um pouco ao norte (na segunda parte ela muda de nome pra rue de Petits Carreaux). É uma rua de carro, ocupada principalmente por pedestres e ciclistas – um sonho! Dia e noite (o movimento não vai até muito tarde), vive cheia, com o horário de pico no almoço, então é isso, muita gente passeando a pé e os carros é que tem que se virar, ou melhor, esperar. A rua, como vocês vão ver no vídeo, tem várias mini lojas e mercados que oferecem comida de tudo quanto é jeito, para comprar e levar pra casa pra cozinhar ou simplesmente compor um belo antepasto. Tem do Grego, ao Italiano, pro Chinês, Francês, Árabe, tem também as lojas características francesas – charcuterie (carne de porco), boulangerie (pães e doces), fromagerie (queijos), boucherie (carnes), tem lojas de vinhos, de flores, de chocolate, de marca de produto orgânico… isso porque eu nem comecei a falar dos restaurantes, tem Indiano, Thailandês, natural, Marroquino, Italiano e claro vários bistrôs. Tem mais de um supermercado, sendo que um deles é o Naturalia mercado de produtos orgânicos. Paris tem várias ruas nesse estilo, mas a que eu conheço e mais me emociono quando passeio por ela é a Montorgueil (percebem que estou há algumas frases super utilizando o verbo TER, porque é isso, essa rua TEM muita coisas!)

A rua Tiquetonne é a rua do salão e como já disse rua que cruza com a Montorgueil. Ela também é pequena, não tem tanto movimento, dá pra perceber no vídeo que é uma rua mais escondida, o que faz dela  especial. Tem várias pérolas ali! São alguns restaurantes bacanas, três salões  (tive que escolher um), uma loja bacanérrima de bicicletas, outra charmosa de acessórios, isso que eu não visitei tudo, e isso que eu disse que era pequena, rs! São três salões na rua, um que me pareceu mais tradicional, então não me animou tanto; outro super hipster, com cortes mais baratos e pessoas, tanto as que estavam cortam quanto as que foram cortar, com looks super originais, confesso que fiquei com medo, achei melhor não arriscar; e por último o Guild Hairdressing, que agora pensando bem, fica no meio do caminho. Primeiro é importante frisar que o Guild Hairdressing é também uma escola, então eles fazem um esquema, onde o custo do corte varia de acordo com a formação do profissional. O “creative director” é o mais caro, mas como estava pagando em Euro, não rolou pra mim não. Escolhi o corte mais barato, que é com quem está começando, e tive uma grata surpresa. Quem cortou meu cabelo foi a Cecile, eu até postei o cabelo dela no nosso instagram, e ela arrasou! Cortou meu cabelo super bem, entendeu exatamente o que eu pedi. Paguei $50, e se vocês pensarem, até com a conversão ficou muito mais barato do que muitos salões, “mar ou menos” que temos nas cidades grandes. Saí de lá feliz, dá pra ver no vídeo. Agora o melhor do corte dela não foi como eu saí, porque o cabelo ali, ainda estava muito fraquinho e castigado, o melhor é perceber como hoje um mês depois,  o meu cabelo ficou mais forte. Acho que é combinação do corte dela e o kit Nioxin que tenho usado (farei um post).

Agora só pra terminar, quero indicar uma rua, que é pertinho dessas duas, acho que são uns três ou quatro quarteirões, e que vale super a pena ir a noite, depois já ter passeado pela Montorgueil e cortado o cabelo na Tiquetonne. Estou falando da rua St. Martin, mas só no quarteirão entre rue Aux Ours (que é a mesma que a Etienne Marce  (só muda de nome nesse trecho) e a rua Rambuteau. Ali a noite é demais! O movimento mesmo, começa na quarta e vai final de semana adentro. Mas os três cafés (barzinhos para nós brasileiros) estão sempre cheios, não importa o dia e é um do lado do outro, o Café La Fusée, o Jojo e o Café Everest, nessa ordem, que também é a ordem do mais cheio, mais badalado para o com mais facilidade de achar mesa. Sentei muito no Jojo, porque por algum motivo tinha sempre a mesma mesa esperando por mim, mas confesso que sempre quis sentar no Café La Fusée, façanha que só consegui uma vez, as três manhã, e mesmo assim ainda estava lotado. O Café La Fusée é o único dos três que abre de dia, na verdade já abre pro café da manhã, e é isso, de manhã já tem gente sentada lá. Ah! O preço dos chopes é super acessível, eu pedia uma demi, que é tipo o tamanho do nosso chope daqui, e pagava $3 numa Floreffe. Uma Floreffe gente! Não é uma Brahma ou Antartica, que são feitas de milho transgênico (to ficando muito chata com essa coisa de orgânico, rs).

Logo em frente tem um “Bar a Vin”, que é a cara de Paris e fica bem no início de uma “passage” (passagem, entre duas ruas, que se faz por dentro de um prédio, coisa super comum por lá) super charmosa com galerias e lojas, todas com um perfil “artsy”. Um dia sentada no Jojo com uma amiga, vimos um mega movimento no “Bar a Vin”, e na entrada da “passage”, que pedimos logo a conta, pra correr pro outro lado da rua e ver o que se passava. E não é que era uma vernissage, com vinho, arte e um monte de gente interessante conversando. Nessa mesma noite, com essa mesma amiga, depois da vernissasge, corremos pro Le Carlie, logo acima.

O Le Carlie, já é um bar mesmo, quero dizer não parece um café, que fica lotado de gente que vai pra ver gente. Lá é super divertido, acho que fui na minha primeira semana com uma outra amiga, e voltamos várias vezes. Tem também ali pertinho um bar com boate embaixo e do outro lado da rua dois bares/boates para mulheres que gostam de mulheres, sempre muito cheios e animados.

Se der larica, na rua tem dois árabes e na esquina com a Rambuteau um típico francês desses de rua que vendem crepe e panini – não são tão bons, mas quando a fome bate a fome bate, rs! E falando em Rambuteau, é uma outra rua delícia, que se você seguir um pouco pro leste já cai praticamente no meio do Marais, que aí pode virar um outro post a parte, com vários outros restaurantes, lojas, bares, cafés, parques… ah… Parrrris! Só de escrever isso tudo está me dando uma saudade imensa e uma vontade louca de voltar! Ai ai…

Ah!  Já ia me esquecendo! Tem o Marché “Saint-Eustache-Les Halles” (feira) que fica na rua Montmatre logo atrás da Montogueil, toda quinta e domingo. Ia aos domingo comprar verduras e legumes orgânicos, mas tem também comidas, frutos do mar, pão. Várias delícias!

Alguns dos endereços:

Eric Kaiser Boulanger e Patissier – pão maravilhoso! São várias lojas espalhadas por Paris. Sempre lotada.

16 Rue de Petis Carreaux (é a continuação da Montorgueil)

Dyonisos Trateur Grec – loja de comida grega. As azeitonas são incríveis!

14 Rue des Petits Carreaux (é a continuação da Montorgueil)

Bolly Nan – indiano, tipo street food. Não como não parar na hora do almoço, nem que seja só pra olhar, porque o cheiro do nan (pão indiano) é maravilhoso. Fica com fila na porta, preço super em conta, comida bem gostosa. Você escolhe o que vai comer no balcão, senta que te levam a comida depois.

12 Rue des petits carreaux (é a continuação da Montorgueil)

Delitaly Epicerie Italienne – loja de comida italiana, as massas frescas são deliciosas, o ravioli recheado de trufa é a minha dica! Tem vários antepastos também.

5 Rue des Petits Carreaux (é a continuação da Montorgueil)

Exki – restaurante esquema fast food, só que natural. Cansei de entrar pegar um sopa e uma salada. Bom, prático e barato.  

59 Rue Montorgueil

Café du Centre – café típico parisiense, ótimo lugar pra sentar, tomar um “verre” (taça de vinho), beber um café ou tomar uma tradicional Sopa de Cebola.

58 rue Montorgueil

Le Tambour – restaurante que fica na rua detrás, animadíssimo! Aberto até tarde, coisa raríssima em Paris.

41, rue Montmartre

Aux 3 éléphant – thai bem gostosinho, aberto almoço e jantar, está sempre cheio.

36, rue Tiquetonne

O’ Scia’– pizzaria napolitana. Também sempre cheia, tivemos que tentar mais de uma vez pra conseguir sentar, vale fazer reserva.

42 Rue Tiquetonne

En Selle Marcel – loja de bicicleta muito charmosa.

40 rue Tiquetonne

Guild Hairdressing – o salão.

18 rue Tiquetonne

E. Dehillerin – loja incrível de utensílios culinários.

18 e 20 rue Coquillière

Bovida – mais uma loja incrível de utensílios culinários.

36 rue Montmartre

Mora – mais uma.

13 rue Montmartre

A. Simon – mais uma, rs!

48 e 52 rue Montmartre

Algumas fotos!

Captura de Tela 2015-04-07 às 08.40.11 Captura de Tela 2015-04-07 às 08.41.27 Captura de Tela 2015-04-07 às 08.42.23 Captura de Tela 2015-04-07 às 08.43.09 Captura de Tela 2015-04-07 às 08.44.13 Captura de Tela 2015-04-07 às 08.44.51 Captura de Tela 2015-04-08 às 17.52.45


 

-

terça-feira

17

março 2015

1

COMMENTS

Tintas naturais ou hairdrama ou como o meu cabelo ficou com mechas “verde cloro de piscina”

Written by , Posted in Dicas Bio, HAIRDRAMA VIAJANDO, HAIRDRAMAS, LOOKS, PRODUTOS, REVIEW

image_1

Por Diana Herzog

Passei dois meses estudando em Paris… ah, Paris… os parques, as ruas cheias de gente mesmo à zero grau, cafés, museus, teatro, shows e um mundo de produtos orgânicos. Confesso que essa cidade me emociona muito, mas a emoção que eu senti tendo acesso a tantas escolhas de produtos orgânicos, tanto para beleza, quanto alimentação, limpeza, etc… foi única. Já há algum tempo eu venho mudando os meus hábitos, trocando o meu desodorante por um sem alumínio, indo a feira orgânica toda terça, e experimentando produtos como o que eu já recomendei por aqui (Keune So Pure).

No Brasil é difícil achar produtos orgânicos ou naturais de beleza pra comprar, nós temos a Renata Esteves que faz um belíssimo trabalho através do site Beleza Orgânica, mas nós precisamos, também, que esses produtos existam nas prateleiras das farmácias Pachecos e Venâncios da vida, em lojas especializadas ou até em supermercados, e claro à preços possíveis. Por isso minha emoção foi tão grande ao entrar no Bio C’ Bon, um mercado de orgânicos e achar quase que uma mini farmácia de beleza orgânica. Fiquei louca e até postei no instagram e me  dei a missão de experimentar o máximo de produtos que dois meses e o meu bolso permitissem.

EuIMG_3161 fiquei tão empenhada na missão, que hoje me encontro com mechas verdes no cabelo, sabe aquele verde de quem é loiro e nada numa piscina com cloro, pois é assim que eu ainda estou, rs! Eu tenho muitos fios brancos, e já sabia das várias opções de tintas naturais que eu encontraria. Já na primeira semana comprei a Color & Soin que é uma cor permanente com extratos vegetais. É difícil escolher, são várias opções de marcas, mas o mais complicado mesmo é entender a cor, eu comprei num mercado natural, então não havia palheta de cores, e as caixas mal vem com uma foto da cor (como isso realmente fizesse diferença, rs), então tem que confiar e ir na sorte.
Escolhi o “Blond Miel” (loiro mel), fui pra casa animada e com medo, porque tinta é um mistério, ainda mais quando se mexe com loiro, a gente nunca sabe quando vai sair um laranja. Fiquei muito aflita durante o processo e enquanto esperava o tempo da tinta, rezava um pouquinho pra que tudo desse certo. A reza foi forte e deu super certo. Eu amei a cor, ficou um loiro mel bem bonito e também melhorou a textura do meu cabelo. Ah! Quando fiz a mistura da tinta e apliquei no cabelo fiquei impressionada com a suavidade do produto, não tinha aquele cheiro forte de tinta, não tinha cheiro nenhum na verdade, e também não senti nenhuma ardência ou coceira no coro cabeludo, foi uma beleza!

Bom, a minha felicidade durou quase 4 semanas, os fios brancos começaram a interromper a harmonia daquele loiro mel IMG_3570 que eu nunca tinha tido, saquinho! Me encontrei numa dúvida cruel, comprar a mesma tinta e garantir a cor que estava me fazendo tão feliz, ou continuar na minha missão – experimentar o máximo de produtos pra poder compartilhar aqui no blog. Meu dever com o Hairdrama falou mais alto, e eu disse “au revoir” ao loiro mel. Dessa vez comprei a tinta no Naturalia, um outro mercado orgânico um pouco mais simples que o outro. Comprei  a cor “Blond Moyen” (meio loiro) do Beliflor. Tive a sensação de ser tão suave quanto o Color & Soin, e mais uma vez durante o processo, comecei a rezar pra que não ficasse laranja. Bom, a reza deu certo, laranja não ficou, rs! Não sei até agora o que aconteceu, mas tenho a impressão de que foi uma reação química entre as duas tintas e as mechas que já estava lá antes da minha viagem, porque foram só as mechas que ficaram esverdeadas, e foi isso que me irritou, porque fora as mechas a cor ficou incrível!!! Um mel brilhoso, apagado pelo verde opaco, rs! Fiquei arrasada. Mas é isso, tinta é química e quando não entendemos muito, é melhor ficar no seguro, a não ser que você tenha muito cabelo  e seja desprendida, rs!

 

 

IMG_3569 Me deu uma louca depois disso e eu comprei mais uma tinta de caixinha, a Korres uma marca Grega, dessa vez no Beauty Monop, loja que só fui entrar no final da viagem e nossa como me arrependi. É uma loja de produtos de beleza em geral, mas fiquei impressionada com a quantidade de opções de tinta mais suaves e com a aparência mais profissa. Escolhi o “light honey chestnut” (castanho mel claro), porque fico achando que o escuro sempre cobre (mas não sei se isso confere, afinal como já mostrado aqui, nunca sabemos quando vai haver uma reação química), mas ainda não tive coragem de experimentar.  Os brancos estão novamente tomando conta, eu continuo com mechas esverdeadas e não sei se chamo um mestre da juba pra me salvar ou se arrisco mais uma vez, afinal é mais uma marca pra compartilhar com vocês. :)

Ah! Quero deixar claro que o meu cabelo ter ficado verde não tem nada a ver com a qualidade do produto que eu utilizei, inclusive ambos tem aviso sobre a interferência de outros produtos, o problema foi eu querer misturar tudo. Recomendo os dois! E outra coisa, é que nenhuma dessas tintas é orgânica, na verdade não encontrei tinta orgânica, mas sim, tintas naturais, sem amônia, sem parabeno, sem silicone, sem óleo mineral, sem metal pesado, sem resorcionol, o que é uma maravilha, porque acho que das piores coisas pra nossa saúde se tratando de produtos de beleza, são as tinturas.

IMG_3170

Primeira tentativa: logo depois comecei a rezar.

cabelo mel

A cor que eu amei, e durou um mês :(

image

Hairdrama.

image_1

Ao vivo é pior!

sábado

7

fevereiro 2015

0

COMMENTS

Cut by Fred – Um site que amamos!

Written by , Posted in LOOKS

images

Nas nossas muitas  pesquisas por esse mundo vasto e infinito que é a internet, damos de cara com os sites/blogs mais inusitados da rede. Mesmo estando focadas no assunto cabelo, ainda assim são muuuitas as referências. Estamos falando de um assunto que, em diferentes graus, interessa a todos.

Bom, tudo isso para dizer que o blog que a gente mais AMA é o Cut By Fred . Quem nos apresentou esse blog foi a Elisa Faulhaber, uma amiga figurinista e antenada.

O Fred é um hairstylist francês, diga-se de passagem BEM GATO, que tem o site mais transado de todos. Seus vídeos são mega bem produzidos, com trilhas maravilhosas, e quase sempre mostram um antes e depois, ou seja, um “antes dele tocar no seu cabelo” e um “depois dele tocar no seu cabelo” rs. Além de cortar super bem, ele também tem várias dicas de penteados.

Como ele mesmo descreve no “About” do seu blog, depois de trabalhar um tempo com cinema e moda, ele quis criar um espaço mais autoral e pessoal, onde pudesse falar mais livremente sobre sua visão de beleza. Ele diz:  “o que fala é o cabelo, tenho a impressão que tudo passa pelo cabelo e que ele deveria governar o mundo” e depois segue: “ok, estou exagerando” hahaha. Bom, nem precisamos dizer que a gente adorou esse exagero :)

Aqui alguns vídeos dele. Foi super difícil escolher, são todos maravilhosos. Selecionamos um no estilo “Antes/Depois” e três tutoriais incluindo um penteado da série “Games Of Thrones”. No blog tem muito mais.

Quisemos postar aqui, porque além de querer dividir essa pérola com vocês, a gente acha que pode ser um ótimo lugar de referências de corte, cor e penteados.

Então, voilá!

cutbyfred.com

Antes/Depois – Lisa et son mini-carré

Tutorial – Tresse-noeuds ou quelque chose comme ça

Tutorial – After summer

Tutorial – Coiffe Game of Thrones

 

 

 

 

 

 

sábado

31

janeiro 2015

0

COMMENTS

TUTORIAL HAIRDRAMA: trança escama de peixe.

Written by , Posted in LOOKS, Tutorial

http-::www.samvilla.com:how-to:tips:dont-let-your-fishtail-braid-be-ordinary#.VMzN6Vb_Rg0

Mais um tutorial com a talentosa Loeni Mazzei, dessa vez a nossa modelo é a Priscila Assum, amiga e super colaboradora do hairdrama, já mostrou pra gente como fazer um coque com lenço super fácil, quem quiser aprender clique aqui.

Além do vídeo fizemos uma seleção de tranças escama de peixe, para dar uma inspirada na hora de fazer o penteado.

Queremos saber quem é que vai conseguir fazer igual depois do nosso tutorial, hein!

workoutfits.org

1. workoutfits.org

www.samvilla.com:how-to:tips:dont-let-your-fishtail-braid-be-ordinary#.VMzN6Vb_Rg0

2. samvilla.com

www.glamour.com:lipstick:2014:05:braids-and-braided-hairstyles-to-try-this-summer:9

3. glamour

www.glamour.com:lipstick:2014:05:braids-and-braided-hairstyles-to-try-this-summer:8

4. glamour

www.glamradar.com:easy-braided-hairstyles:fishtail-braids:

5. glamradar.com

www.blog.freepeople.com:2013:03:hairstyle-love-ponyfish:

6. blog freepeople

www.blog.freepeople.com:2013:03:hairstyle-love-ponyfish:

7. blog freepeople

quinta-feira

22

janeiro 2015

0

COMMENTS

Nova propaganda da Aussie com o “Shit Girls Say” é um hit do youtube

Written by , Posted in DESATANDO OS NÓS

Captura de Tela 2015-01-22 às 16.04.56

Gente,

nós acabamos de ver a nova propaganda da Aussie e rimos muito! Inclusive ela termina falando, “Deixe o hair drama pra lá”. A Aussie é uma marca americana, gigante, vendida internacionalmente e é algo bem próximo de um Pantene ou Dove.  A propaganda é feita com o “Shit Girls Say” uma websérie de comédia que já faz muito sucesso na internet há um tempo, mas nós nunca tínhamos ouvido falar. Os caras são maravilhosos, é bem estereotipado, mas é engraçado, não dá pra levar tudo a sério, né gente, rs! Vale a pena dar uma olhada no canal deles (só clicar aqui).

Nós fizemos legendas em português pra não deixar ninguém de fora, queremos compartilhar essa pérola com todo mundo, porque é uma delícia. Aproveitem!!!

terça-feira

20

janeiro 2015

2

COMMENTS

Precisamos ter coragem pra mudar. Post escrito por Pâmela Côto.

Written by , Posted in Convidados, LOOKS

foto 1

A queridíssima Pamela Côto, nossa amiga atriz e seguidora do nosso hairdrama, escreveu esse post pra gente, contando um pouco da sua dificuldade em mudar os cabelos.

Cabelo é um troço engraçado: O que é fácil pra umas, é difícil para outras. Não tem regra.  E como sabemos que ele é um elemento transformador para a mulher, tem que se sentir segura mesmo para arriscar uma mudança.

Aqui vai o relato dela:

 POR PÂMELA CÔTO

Como fã do Hairdrama e medrosa que sou para mudar os cabelos, a ida ao salão é sempre um grande evento pra mim. Resolvi, então, registrar um pouco do meu momento volta ao loiro e adeus aos longos.

Eu cultivei madeixas longas quase a vida inteira. Consigo contar em meia mão a quantidade de cortes significativos que eu considerei uma radicalização: Por duas vezes, só duas vezes! Numa cortei os cabelos na altura dos ombros,  e na outra um pouco mais a cima. A primeira vez a contra-gosto e cheia de picotes, pra um trabalho fotográfico. A segunda há 3 anos, com um long bob por desejo mesmo.

Esse ano foi a vez de escurecer os cabelos. Precisei deixá-los castanhos escuros pra uma série e adorei o pretexto e o resultado. Mas como foi feito uso de tonalizante e não tinta, depois de alguns meses o cabelo começou a ficar com uma cor de burro-quando-foge, e depois a se aproximar da cor do meu cabelo natural, um loiro escuro que eu confesso achar bem sem sal. Já faz tanto tempo que eu faço mechas mais claras, e amo, que até a minha mãe disse que essa não era o cor do meu cabelo – “não,  é  muito mais claro!” Ou ela ficou com a memória da minha loirice de infãncia dourada das férias na Região dos Lagos, ou as mechas que a Karla faz (a minha fiel hair stylist) realmente me deixam com cara de que eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim!

Seja como for, é por isso que eu digo que resolvi “voltar ao loiro”. Ao loiro que eu já tive um dia naturalmente e ao loiro que me deixa fazer as pazes com o espelho que cisma em não me reconhecer diferente. Ah! E junto com isso, o terceiro corte da vida, que me fez refletir por meses. Dessa vez o espelho, que conversa muito comigo, exigiu mudanças. Disse que aquele longo já tinha dado. Que alguma coisa em mim mudou e o meu cabelo precisava acompanhar a mudança. Demorei mas topei. E agora, adorando a mudança, não paro de mexer no cabelo e mostrar pra ele, o espelho. Espelho, espelho meu… e agora, já me reconhece, pô?!

Agradecimentos especiais à Karla Guerra, do Salão Belíssima Beauty no Leblon.

pickerimage

Cabelo médio/cabelo longo loiríssimo

pickerimage(1)

Castanho para “Milagres de Jesus” na Record/Mais claro para a série “Meus dias de rock”

pickerimage(2)

Novo corte

domingo

18

janeiro 2015

4

COMMENTS

Cortes pra esse verão que está um forno!

Written by , Posted in LOOKS, SELEÇÃO HAIRDRAMA

Julianne-Hough marieclaire.co.uk

Gente, nós sabemos que o verão tá coisa séria – estamos  praticamente vivendo numa sauna. E nos dias que o Rio de Janeiro, por exemplo, tem proporcionado, nem pelado rola, rs! Cabelo comprido então, é tipo cobertor na cabeça.  Pra quem sempre teve vontade e nunca coragem de cortar as madeixas mais curtinhas, agora é a melhor hora pra encarar uma mudança. Nós então pra botar um pouco mais de pilha, fizemos uma seleção de cabelos curtos, são muitas opções – para as mais corajosas e para aquelas que vão aos poucos. É muita inspiração, e dá vontade de ter todos. Tomara que esse post realmente traga mudanças! Cabelo curto é lindo e a cara do verão e quase um ato de sobrevivência, rs!

abeautifullittlelife.com  dailymail.co.uk fashionmio.com girlswithshorthair.tumblr.com glamasia.com harpersbazaar.com hercampus.com Julianne-Hough marieclaire.co.uk karlie-kloss-fashiongonerogue kirsten dunst vogue.es lovelylydyedlocks.tumblr.com luckymag.com marieclaire.co.uk pophaircuts.com pophaircuts.com popular haircuts style craze usmagazine.com wavygirlhairstyles.com www.pophaircuts.com www.prettydesigns.com becomegourgeous.com

buzzfeed.com

 

violetgrey.hardpin

terça-feira

13

janeiro 2015

4

COMMENTS

Voltando ao “normal”: um diário do último dia colorido

Written by , Posted in HAIRDRAMAS, Mestres das Jubas

cabeça colorida

Por Diana Herzog

Rio de Janeiro, 22 de Novembro de 2014.

Eu estou aqui contando os minutos ou tentando não contar os minutos para voltar ao “normal”. Estou realmente com o coração apertado e um medo enorme de me ver loira ou morena (ainda não sei a cor que vou colocar) e não me reconhecer, não gostar mais. Sinto isso de verdade. Esses dois meses de cor foram únicos, nunca mudei tantas vezes de colorido, eu explico: o rosa ou o azul, enfim o colorido, você coloca, mas sai todo dia um pouquinho no banho, então todo dia é diferente, todo dia eu me via com um novo tom. As pessoas não entendem, porque realmente, se você parar para pensar, ter o cabelo rosa já é “esquisito”, mas é realmente uma experiência um dia ter ele rosa, outro dia ter roxo, rosa claro, rosa branco, depois rosa pink, enfim… cada dia uma cor, um tom, cada dia um encontro comigo mesma. E cabelo é realmente isso, ele muda a gente, ele muda a gente de fora para dentro, e agora pensando bem de dentro para fora. Mas é isso, durante esses dois meses me senti outra, mais segura, mais interessante, e na maioria das vezes não lembrava de estar “diferente”, porque assim, não sei vocês, mas eu não ando com espelho na mão, rs! Então a minha sensação, meu diálogo comigo mesma e com o mundo mudou por causa da cor, apesar de muitas vezes estar “colorida” não passava pelo meu pensamento, mas não sei, acho que eu já era outra. E agora o medo de mudar, de voltar, de não me encontrar mais, de não conseguir mais enxergar essa Diana que eu conheci nos últimos dois meses. Eu imagino que deve ter gente achando que a cor me deixou um pouco esquizofrênica, lendo esse texto, rs, mas é o que eu estou sentindo e é estranho. Será que essa Diana vai continuar por aqui mesmo sem cor, será que eu me conectei com um lado que eu não conhecia e agora ele vai me acompanhar independentemente do cabelo? Ou será que vai embora no primeiro segundo em que me olhar no espelho sem o rosa.

Eu imagino também que deve ter gente pensando, nossa quanto superficialidade, é só aparência, a superfície, blá blá blá… Mas a sensação que eu tenho, é que é alma, e não é a toa que eu e Julia criamos esse blog, porque cabelo é transformador, cabelo é energia. Mesmo! Enfim… muitas coisas, muitos sentimentos… deixo o computador agora para me arrumar, pegar minha bike, meu capacete rosa (que será minha única maneira de ter o rosa na cabeça, rs) e voar para o salão para encontrar com o nosso super querido e talentos Alê Carvalho (mestre da juba) e me reencontrar ou me desencontrar.

voltando ao normal

Antes e depois… a cara da felicidade (só que não) logo antes de sair de casa pra tirar o roxo, rsrs!

cabeça colorida

Vida em cores!

sábado

10

janeiro 2015

0

COMMENTS

Tutorial: coque rosquinha SEM GRAMPO!!!

Written by , Posted in LOOKS, NO CLIMA BALLET FITNESS, Tutorial

foto

Pode até não ser uma grande novidade, mas nós achamos demais e super simples e por isso fizemos esse tutorial de 90 segundos.

A Ana Cecília é bailarina professora de Ballet Fitness e tem uma cabelo lindo e sempre aparece impecável pra dar aula, parece uma boneca, mas não tem jeito nós só olhamos pro cabelo, rs! E ela nos mostrou que pra fazer um coque lindo assim você só precisa de uma rosquinha (pode ser comprada pronta ou feita em casa com uma meia, veja o nosso tutorial ) e claro cabelo, coisa que nós duas não temos muito, HAIRDRAMA!!!

Então cabeludas aproveitem!!!

sábado

27

dezembro 2014

2

COMMENTS

Linha Discipline da Kérastase – cabelos domados, mas sem perder o movimento.

Written by , Posted in NO CLIMA BALLET FITNESS, PRODUTOS

Estamos um pouco atrasadas com esse post, mas antes tarde do que nunca, não é mesmo?

Bom, fomos convidadas pela Marcia Stein para conhecer o lançamento da linha Discipline da Kérastase. Na semana do quadrilátero do charme by Vogue em Ipanema, a L’Oréal em parceria com o Care fizeram um evento para lançar a linha Thermo Alinhamento Capilar Discipline. Fomos convidadas também para experimentar o tratamento feito no salão e ainda ganhamos 3 produtos para darmos prosseguimento em casa.

O conceito dessa nova linha da Kérastase foi inspirado no ballet clássico, principalmente na disciplina que as bailarinas precisam ter para alcançar seus resultados. O slogan é: Disciplina, mas sem perder o movimento. Ou seja, a linha se propõe a domar aqueles fios mais revoltados e baixar o frizz, mas sem endurecer o cabelo.

E sabem quem foi a escolhida para divulgar e fazer o lançamento aqui Brasil? A nossa querida Betina Dantas (post coque Betina Dantas ) criadora oficial do ballet fitness, quem acompanha o blog já sabe que somos fãs e seguidoras da técnica.

Como vocês vão ver no vídeo, achamos o tratamento feito no salão muito bom. O cabelo sai muito macio e cheiroso, e disciplinado rs. Desde lá estamos usando os produtos e super aprovamos. O spray e a máscara são realmente eficientes e dão um trato no cabelo, a sensação que temos é que cada fio é encapado e ganha um peso que normalmente nós de cabelo fininhos não sentimos, é uma beleza! Isso tudo graças a um novo complexo chamado morfo-queratina. É um tratamento de disciplina intensa, sem alterar a fibra capilar, ou seja, não é um processo químico.

A linha Discipline propõe:

Controle: anti-frizz, anti-umidade.

Escova: maior rapidez e duração.

Qualidade do fio: brilho, maciez e movimento.

Abaixo seguem os 3 produtos que ganhamos e suas especificações.

foto(1)

 

1. Shampoo Bain Fluidealiste: Disciplina com fluidez e leveza, para o movimento ideal. Toque maleável e macio. Indicação: uso diário.

2. Maskeratine: Ação reforçada contra o frizz, facilita a escivação, alinhamento intenso da superfície capilar. Indicação: 1 x por semana.

3. Fluidissime: Sem enxágue. Ação anti-frizz e antiumidade por até 72 horas. Facilita a escovação e protege do calor.Maciez instantânea e brilho intenso com toque leve. Indicação: uso diário com ou sem utilização de calor.

Desses 3 produtos, se você tiver que escolher um para comprar, nós indicamos a Maskeratine. Já dá para sentir o efeito logo na primeira passada. No vídeo, a Renata, consultora da Kérastase explica melhor a ação desses produtos.